O dentro e fora do quarto

Depois de fechar a porta,
beija minha boca do teu jeito
– com a carne, a água e a língua.

Prova no meu peito o gosto,
põe o desespero no teu rosto
Do começo até o final
Do recomeço até o final.

Porque a cidade lá fora
tem bichos bípedes respirando fumaça
E coisas metálicas caem pelos cantos
como um céu de três chumbos.

Eu sinto preguiça dessa vida
Prefiro você
Aqui dentro,
pelas dobras dos nossos tantos.

Comente aqui