Despedida

Ai, que vem a dor no peito
E eu sou sujeito
do sentir.

Há de me fechar,
A cortina de flores
Há de me enfeitar.

Se chegar em cavalo branco
Com rabo em corda de plumas
Eu digo morcegos

Que o pano negro caiu na passagem
E ela é ponte de madeira roxa.

Muito digo do que não sei,
do que não vejo
Mas um ponto é um ponto:
Afirmativo.

3 comentários em “Despedida

Comente aqui