Retilínea

Contanto que o céu diga o teu nome,
eu me calo.

Aí eu paro de gritar pelas veias
que te quero, que tu venhas

A minha garganta já anda doente
do tanto que te peço e grito tonta
Mas tu me ignoras

Só que eu não vou parar.
Porque meu corpo é o teu

E a linha traça reta guia
você pra mim.

Comente aqui